Como se lê um pneu?

Como se lê um pneu?

Toda a informação acerca do pneu está reunida nas suas paredes laterais. A partir das marcações apresentadas ao longo da borracha é possível interpretar os elementos que determinam a variedade de marcas e categorias compatíveis com o seu automóvel.

Se ainda não sabe como se lê um pneu, leia atentamente as explicações que se seguem. Conheça o significado de números, letras e códigos nele inscritos e ficará a compreender o essencial.

- Dimensões e construção. São as marcações-chave de qualquer pneu. Indicam o tamanho e o tipo de construção. Conheça, em detalhe, cada um dos elementos que integram este capítulo, a partir do exemplo 205/55 R16 91V:

a) Largura: 205. É a distância, em milímetros, entre as laterais externas. Quanto maior o número, mais largo será o pneu.

b) Série/perfil: 55. Expressa em percentagem, apresenta a relação entre a altura e a largura da secção. No exemplo, a altura do flanco equivale a 55% da largura (112,75 mm).

c) Construção: R. A letra do exemplo indica uma construção radial, ou seja, em que os cabos têxteis da carcaça atravessam o pneu de uma pega à outra. É extensível à maioria dos pneus, sobrepondo-se aos de construção diagonal.

d) Diâmetro da jante: 16. Representa, em polegadas, a altura da jante. No exemplo, as 16 polegadas equivalem a 40, 64 cm.

e) Índice de carga: 91. É um código que encontra correspondência numa tabela e que informa a capacidade máxima de carga que o pneu pode suportar. O 91 corresponde a 615 quilos por pneu.

f) Índice de velocidade: V. Estabelece a velocidade máxima de um pneu com a pressão correta e com carga. Também remete para uma tabela específica, que mostra a equivalência à letra. O V aponta para um limite de 240 km/h.

- Marca e modelo. Indicam a marca comercial do fabricante e a designação do modelo em questão.

- Câmara de ar. A generalidade dos pneus atuais não usa câmara de ar no seu interior, apresentando, por isso, a inscrição tubeless no flanco, substituindo a anterior inscrição tubetype.

- Desgaste. Os pneus contêm indicadores de desgaste (TWI). Trata-se de tacos de borracha de 1,6 mm, que servem de aviso do limite de utilização do pneu.

- Pressão. O valor máximo de pressão a frio encontra-se expresso em psi ou kpa. Serve de referência limite, pois os fabricantes recomendam uma pressão sempre inferior.

- Neve e gelo. O código M+S refere-se a um pneu preparado para a neve. Já o símbolo de três picos de montanha e um floco de neve (3pMSF) informa que foi submetido a rigorosos testes e que pode ser usado em condições extremas.

- País de origem. O país onde o pneu foi fabricado é identificado isoladamente.

- Marcação europeia. Os pneus usados na Europa contemplam, no interior de um círculo, um código alfanumérico indicativo da homologação. A letra E designa essa certificação, enquanto que o número é o código do país que a aprovou.

- Fabrico. A acompanhar a marcação DOT (certificação americana), há inscrições alfabéticas e numéricas. Os três primeiros grupos de códigos dizem respeito à fábrica, dimensões do pneu e opções do fabricante. Os quatro números mais à direita referem-se à data de fabrico: os dois iniciais indicam a semana e os dois últimos o ano. No exemplo 3815, o pneu foi fabricado na semana 38 do ano 2015.

Pesquise e compare

Agora que já sabe como ler um pneu, defina os seus critérios no motor de pesquisa da Euromaster. Aceda à nossa loja online ou visite um dos nossos centros Euromaster e conheça as opções disponíveis mais adequados ao seu veículo.